Principais perguntas que os pais fazem ao Dr. Google

drgoogleMuitos pais e mães recorrem ao Dr. Google para pesquisar sobre diversos assuntos relacionados aos seus filhos. Mas é preciso ter cuidados na hora de procurar fontes confiáveis na internet, como páginas de sociedades médicas. Abaixo, confira as principais perguntas feitas pelos pais ao Google, com as respostas de especialistas na sequência.

drgoogleMuitos pais e mães recorrem ao Dr. Google para pesquisar sobre diversos assuntos relacionados aos seus filhos. Mas é preciso ter cuidados na hora de procurar fontes confiáveis na internet, como páginas de sociedades médicas. Abaixo, confira as principais perguntas feitas pelos pais ao Google, com as respostas de especialistas na sequência.

• Por que meu bebê está com a temperatura tão baixa?
A temperatura corporal inferior a 36°C caracteriza um quadro de hipotermia, cuja causa mais frequente é o frio. Portanto, agasalhe bem a criança e ofereça bebidas mornas nos meses mais frios do ano. Se mesmo assim, a criança continuar com a temperatura baixa, procure um pediatra com urgência. A hipotermia, em alguns casos, pode ser causada por quadros de infecção.

• Qual é o nível normal de glicose para crianças?
O nível normal de glicose é semelhante ao dos adultos: de 60 mg/ml a 99 mg/dL. Vale destacar que equipamentos calibrados para adultos podem distorcer o resultado em crianças. O correto é que os pais esperem que o pediatra faça a avaliação da glicemia do filho via exames.

• Maisena engorda o bebê?
A maisena engorda o bebê, sim. A farinha utilizada para engrossar o leite da mamadeira não agrega nutrientes à dieta da criança e só a aproxima da obesidade. A alimentação correta para os bebês é o aleitamento materno de forma exclusiva até os 6 meses de idade, e complementar até os 2 anos. Caso isso não seja possível, as fórmulas lácteas (próprias para essa faixa etária) são bem completas e já oferecem carboidratos.

• Qual é o melhor antitérmico para crianças?
Os pediatras costumam controlar a febre com acetaminofen (paracetamol), ibuprofeno ou dipirona. Cada um desses antitérmicos possuem suas próprias ações, efeitos colaterais e contraindicações. Não há uma substância melhor ou pior, pois a eficácia varia de criança para criança. E lembre-se: o pediatra é quem deve indicar o medicamento mais adequado.

• Como tratar estomatite em crianças?
A estomatite afeta a mucosa da boca e, em alguns casos, a língua. Provocada por vírus, a doença se manifesta com aftas muito dolorosas que incomodam a criança durante a alimentação. O tratamento do problema é realizado a partir de analgésicos (sempre sob a orientação de um pediatra) para controlar a dor e da oferta de líquidos e alimentos pastosos que não sejam ácidos (água, água de coco, leite e mingau). O quadro de estomatite desaparece espontaneamente entre 7 e 15 dias.

• Meu filho ainda não fala, o que fazer?
Entre 1 e 3 anos de idade, o vocabulário infantil aumenta significativamente. E a reprodução das palavras ocorre de acordo com os estímulos que a criança recebe. De acordo com especialistas, o fator mais importante não é tanto a comunicação verbal da criança, mas os sinais de que ela está entendendo – se ela está olhando para quem fala com ela; se ela reconhece expressões faciais. Caso a criança capte essas informações, não há razão para preocupações, pois em questão de pouco tempo a criança começará a usar as palavras (isso deve ocorrer até os 3 anos). Até lá, o papel dos pais é estimular a criança a pedir as coisas que deseja. No entanto, se a criança demorar para estabelecer novas formas de comunicação, submete-a a avaliação de um profissional.

• Qual é o melhor expectorante para crianças?
Para ajudar na expectoração da criança, a dica é oferecer líquidos com certa frequência e utilizar soluções salinas em spray (que devem ser receitadas por um médico) para limpar as vias nasais. Além disso, recomenda-se a realização de inalação. O mel não é indicado antes de 1 ano de idade (e a sua eficácia como expectorante não é comprovada). Importante: se a criança apresentar uma tosse frequente e intensa, procure um médico.

• O que significa o suor noturno infantil?
O suor noturno indica apenas que a criança está com calor. Por isso, em dias de temperatura amena, diminua a quantidade de roupas e deixe o ambiente mais refrescante. Na dúvida, considere que bebês pequenos necessitam de uma peça de roupa a mais do que os adultos. O suor noturno só é motivo de preocupação quando associado a outros fatores, como baixo ganho de peso, febre, tosse e prostração. Nesse caso, a criança deve ir ao pediatra.

• Bebês têm pesadelo?
Sim, os bebês têm pesadelos. Os especialistas afirmam que os sonhos e os pesadelos acontecem durante o chamado sono REM e as crianças apresentam essa fase do sono desde que nascem. Portanto, elas podem sonhar conteúdos positivos ou negativos. Os sonhos e os pesadelos se relacionam ao contexto vivenciado enquanto o bebê está acordado.

• Existe calmante para crianças?
Os médicos preferem, atualmente, se referir a esse tipo de medicamento de forma mais específica. No caso, há três tipos de “calmantes”: indutor de sono, ansiolítico e estabilizador de humor. O primeiro ajuda a criança a entrar na fase inicial do sono e costuma ser prescrito só para casos extremos de dificuldade para dormir. O ansiolítico é recomendado para quem apresenta manifestações exacerbadas de irritabilidade, ansiedade e fobia. Já o estabilizador de humor auxilia na redução de oscilações acentuadas de humor. Mas é sempre bom destacar que apenas um médico pode prescrever esse tipo de medicamento.

Mais acessadas

Fases do Desenvolvimento Infantil (0 a 6 anos)

Berçário, Pré-Maternal, Maternal I, Maternal II, Jardim A e Jardim B
Faixa etária: 0 aos 6 anos

"A trajetória que uma criança percorre desde que começa a deixar de ser bebê (dependência total), até começar a se transformar em um ser mais independente e autônomo está relacionado tanto às condições biológicas, como aquelas proporcionadas pelo espaço familiar e social (escola), com o qual interage."

Saiba como substituir um alimento por outro

Seu filho não gosta de maçã? Não tem problema, há diversos alimentos que podem substituir essa fruta. A seguir, saiba como substituir certos alimentos por outros que oferecem os mesmos nutrientes. Também confira dicas para se aproveitar melhor os alimentos – em uma receita ou com algum ingrediente.

• A ABOBRINHA pode ser substituída por abóbora japonesa, berinjela, chuchu e moranga, que são fontes de minerais. Coloque-os na lasanha (foto), por exemplo.

• A BANANA pode ser substituída por abacate, mamão e morango, que ajudam a regular as taxas de colesterol. Batidas, compotas ou tortas são possibilidades.

• O BRÓCOLIS pode ser substituído por couve-flor, couve e repolho, que agem contra o câncer. Refogue e misture no arroz. Ou sirva cozido junto a molhos.

• A COUVE pode ser substituída por acelga, escarola e espinafre, aumentando as defesas do organismo. Coloque em omeletes, suflês, panquecas e massas.

• A MAÇÃ pode ser substituída por goiaba, laranja e pera, que são igualmente ricas em fibras. A dica é misturar na salada ou fazer um suco com uma fruta.

O papel do educador infantil

O educador infantil tem um papel muito importante no desenvolvimento de uma criança. Entre suas atribuições, esse profissional é responsável por propiciar experiências que ajudem a criança a desenvolver suas capacidades cognitivas (atenção, memória, raciocínio, entre outras). Trata-se de um processo longo, desenvolvido de forma contínua e dinâmica a partir dos primeiros anos de vida.

Dentro desse processo, o professor deve impor limites às crianças na escola. Ainda que a atitude de dizer “NÃO” possa ser prejudicial ao desenvolvimento da criança, em determinadas situações é essencial que os educadores tenham o compromisso ético de combater, por exemplo, possíveis apelidos pejorativos colocados entre os alunos. Ao impor limites, evita-se expor a criança a alguma situação embaraçosa. Aliás, tema atual que deve ser debatido em sala de aula.

Outro ponto ao qual o professor deve estar atento está ligado às preferências. É essencial que o tratamento a todos os alunos seja igual. Elogios a um aluno e comparações entre um e outro podem fazer uma criança se sentir rejeitada. Portanto, todos os alunos devem receber o mesmo tratamento, sem exceções.

O educador infantil é o personagem que, além dos pais, será um espelho para a criança. Assim, uma boa educação infantil tem o papel de formar a criança e transformá-la no futuro em um homem ou uma mulher que faça a diferença na sociedade. Tudo isso começa pela sala de aula da escola de educação infantil.

Últimas do Blog

Meu filho tem medo do escuro! E agora?

Na hora de dormir, você apaga a luz do quarto e seu filho começa a chorar? Antes de tudo, calma! O medo de escuro é algo comum na infância e surge geralmente a partir dos 3 anos de idade, desaparecendo por volta dos 7. O principal motivo é a imaginação fértil e aflorada da criança, que é muito estimulada por histórias, contos, desenhos e até notícias. E isso muitas vezes a impossibilita de diferenciar a realidade da fantasia.

7 itens importantes na escolha da creche

A tarefa é das mais importantes: escolher em qual creche colocar o filho. Para ajudar na procura, avaliação e definição, relacionamos algumas dicas para orientar mães e pais aflitos pela mudança na vida do filho, pois o pensamento é de que tudo seja perfeito. Portanto, anote:

Facebook

Somos 5 Estrelas

 

Conheça a Escola Mundo do ABC

Umas das Poucas Escolas de Porto Alegre
Certificada pelo Conselho Municipal de Educação

(51) 3381-8201

Av. Iguaçu, 321 - Petrópolis

mundodoabc@mundodoabc.com.br