Como manter medicamentos longe do alcance das crianças

Qualquer adulto sabe que crianças devem ficar longe, sem acesso à caixa de medicamentos. Pais sempre têm o maior cuidado em esconder qualquer remédio, deixando-o longe do alcance das crianças. Mas, muito frequentemente, os pequenos acabam tendo acesso a essas drogas num momento de descuido, o que pode trazer sérias consequências.

Confira as principais dicas para não ter acidentes envolvendo crianças e remédios:

1. Mantenha os medicamentos em lugar alto, onde a criança não tenha acesso. Cuidado com prateleiras ou estantes que possam ser escaladas. O ideal é lugar alto e trancado.

2. Se você carrega algum remédio de uso diário na bolsa, ou tem sempre um analgésico para emergências, lembre-se de que ela também deverá ficar longe do alcance da criança, pois elas adoram mexer na bolsa de adultos.

3. Quando existe um idoso na família que faz uso de vários medicamentos, ele deve ser orientado da mesma forma para que tenha o cuidado de não deixar nenhum remédio com fácil acesso aos pequenos.

4. Jamais diga que o remédio é um tipo de doce para convencer seu filho a tomar o medicamento sem reclamar. Isso pode fazer com que ele resolva experimentar outros “doces” como esse.

5. Quando a criança precisar ser medicada por outra pessoa da casa, oriente sobre os cuidados com dosagens e armazenamento. É preciso ter atenção e guardar o remédio assim que for ministrado.

Mais acessadas

Fases do Desenvolvimento Infantil (0 a 6 anos)

Berçário, Pré-Maternal, Maternal I, Maternal II, Jardim A e Jardim B
Faixa etária: 0 aos 6 anos

"A trajetória que uma criança percorre desde que começa a deixar de ser bebê (dependência total), até começar a se transformar em um ser mais independente e autônomo está relacionado tanto às condições biológicas, como aquelas proporcionadas pelo espaço familiar e social (escola), com o qual interage."

Saiba como substituir um alimento por outro

Seu filho não gosta de maçã? Não tem problema, há diversos alimentos que podem substituir essa fruta. A seguir, saiba como substituir certos alimentos por outros que oferecem os mesmos nutrientes. Também confira dicas para se aproveitar melhor os alimentos – em uma receita ou com algum ingrediente.

• A ABOBRINHA pode ser substituída por abóbora japonesa, berinjela, chuchu e moranga, que são fontes de minerais. Coloque-os na lasanha (foto), por exemplo.

• A BANANA pode ser substituída por abacate, mamão e morango, que ajudam a regular as taxas de colesterol. Batidas, compotas ou tortas são possibilidades.

• O BRÓCOLIS pode ser substituído por couve-flor, couve e repolho, que agem contra o câncer. Refogue e misture no arroz. Ou sirva cozido junto a molhos.

• A COUVE pode ser substituída por acelga, escarola e espinafre, aumentando as defesas do organismo. Coloque em omeletes, suflês, panquecas e massas.

• A MAÇÃ pode ser substituída por goiaba, laranja e pera, que são igualmente ricas em fibras. A dica é misturar na salada ou fazer um suco com uma fruta.

O papel do educador infantil

O educador infantil tem um papel muito importante no desenvolvimento de uma criança. Entre suas atribuições, esse profissional é responsável por propiciar experiências que ajudem a criança a desenvolver suas capacidades cognitivas (atenção, memória, raciocínio, entre outras). Trata-se de um processo longo, desenvolvido de forma contínua e dinâmica a partir dos primeiros anos de vida.

Dentro desse processo, o professor deve impor limites às crianças na escola. Ainda que a atitude de dizer “NÃO” possa ser prejudicial ao desenvolvimento da criança, em determinadas situações é essencial que os educadores tenham o compromisso ético de combater, por exemplo, possíveis apelidos pejorativos colocados entre os alunos. Ao impor limites, evita-se expor a criança a alguma situação embaraçosa. Aliás, tema atual que deve ser debatido em sala de aula.

Outro ponto ao qual o professor deve estar atento está ligado às preferências. É essencial que o tratamento a todos os alunos seja igual. Elogios a um aluno e comparações entre um e outro podem fazer uma criança se sentir rejeitada. Portanto, todos os alunos devem receber o mesmo tratamento, sem exceções.

O educador infantil é o personagem que, além dos pais, será um espelho para a criança. Assim, uma boa educação infantil tem o papel de formar a criança e transformá-la no futuro em um homem ou uma mulher que faça a diferença na sociedade. Tudo isso começa pela sala de aula da escola de educação infantil.

Últimas do Blog

Meu filho tem medo do escuro! E agora?

Na hora de dormir, você apaga a luz do quarto e seu filho começa a chorar? Antes de tudo, calma! O medo de escuro é algo comum na infância e surge geralmente a partir dos 3 anos de idade, desaparecendo por volta dos 7. O principal motivo é a imaginação fértil e aflorada da criança, que é muito estimulada por histórias, contos, desenhos e até notícias. E isso muitas vezes a impossibilita de diferenciar a realidade da fantasia.

7 itens importantes na escolha da creche

A tarefa é das mais importantes: escolher em qual creche colocar o filho. Para ajudar na procura, avaliação e definição, relacionamos algumas dicas para orientar mães e pais aflitos pela mudança na vida do filho, pois o pensamento é de que tudo seja perfeito. Portanto, anote:

Facebook

Somos 5 Estrelas

 

Conheça a Escola Mundo do ABC

Umas das Poucas Escolas de Porto Alegre
Certificada pelo Conselho Municipal de Educação

(51) 3381-8201

Av. Iguaçu, 321 - Petrópolis

mundodoabc@mundodoabc.com.br