Escolher uma escolinha para nossa filha

Escolher uma escolinha para nossa filha – de apenas 6 meses – foi uma tarefa muito complicada. Além de lidar com todos os sentimentos que envolvem ter que se separar do bebê, precisamos garimpar um local que achássemos adequado.

Queríamos um lugar que se encaixasse nos nossos valores, que fosse ético, seguro e, acima de tudo, onde houvesse muito afeto. Tarefa difícil... Hoje, passados 9 meses que nossa filhota está no Mundo do ABC, olhamos para trás e vemos quão correta foi nossa decisão. É impressionante (e quase inacreditável), mas não temos do que nos queixar. Estar lá no Mundo (sim, porque nós também nos sentimos lá) tem sido uma experiência linda, de muito carinho, parceria, compreensão e ajuda. Deixar nossa filha nas mãos de - a princípio - desconhecidos, é das coisas mais difíceis pelas quais passamos. Temos muito segurança toda vez que deixamos a Luli lá, pois tenho certeza de que ela se sente como nós: em casa! A principal marca dessa escola é a de não tratar a educação como um simples comércio, mas entender que ela passa pelas relações, pelos afetos e que precisa de parceria. Acho fundamental ensinar coisas para minha filha através dos exemplos práticos e concretos, das atitudes e não de apenas belos discursos. No Mundo do ABC nós vemos isso, vemos pessoas agindo cotidianamente com respeito, ética, afeto, competência e valorizando mais o "ser" do que o "ter". Pra nós, tudo isso é mais do que escolher o lugar onde deixaremos nossa filha por algumas horas. É apostar que podemos ensinar para as crianças com o nosso exemplo, mostrando como nos relacionamos uns com os outros. É apostar (pretensiosamente) num outro mundo possível!

 

Muito obrigada por tudo!!
Beijo grande,
Thaiani V. e Ricardo de C.
(pais da Luisa de C., hoje com 1 ano e 1 mês)
06 de junho de 2012

 

Mais acessadas

Fases do Desenvolvimento Infantil (0 a 6 anos)

Berçário, Pré-Maternal, Maternal I, Maternal II, Jardim A e Jardim B
Faixa etária: 0 aos 6 anos

"A trajetória que uma criança percorre desde que começa a deixar de ser bebê (dependência total), até começar a se transformar em um ser mais independente e autônomo está relacionado tanto às condições biológicas, como aquelas proporcionadas pelo espaço familiar e social (escola), com o qual interage."

Saiba como substituir um alimento por outro

Seu filho não gosta de maçã? Não tem problema, há diversos alimentos que podem substituir essa fruta. A seguir, saiba como substituir certos alimentos por outros que oferecem os mesmos nutrientes. Também confira dicas para se aproveitar melhor os alimentos – em uma receita ou com algum ingrediente.

• A ABOBRINHA pode ser substituída por abóbora japonesa, berinjela, chuchu e moranga, que são fontes de minerais. Coloque-os na lasanha (foto), por exemplo.

• A BANANA pode ser substituída por abacate, mamão e morango, que ajudam a regular as taxas de colesterol. Batidas, compotas ou tortas são possibilidades.

• O BRÓCOLIS pode ser substituído por couve-flor, couve e repolho, que agem contra o câncer. Refogue e misture no arroz. Ou sirva cozido junto a molhos.

• A COUVE pode ser substituída por acelga, escarola e espinafre, aumentando as defesas do organismo. Coloque em omeletes, suflês, panquecas e massas.

• A MAÇÃ pode ser substituída por goiaba, laranja e pera, que são igualmente ricas em fibras. A dica é misturar na salada ou fazer um suco com uma fruta.

Para quê a criança brinca?

Os jogos, inicialmente, eram encarados como oportunidades de descarga de energia para as crianças, atividade que se explicaria por si só. Hoje há unanimidade em que o brincar tem função essencial no processo de desenvolvimento da criança, principalmente nos primeiros anos de vida nos quais ela tem de realizar a grande tarefa de compreender e se inserir em seu grupo. Constitui a função simbólica, desenvolver a linguagem, explorar e conhecer o mundo físico. Desde bebê a criança dedica grande parte de seu tempo à exploração do mundo material no qual está inserida de forma que o possa compreender e utilizar.

Últimas do Blog

Como manter medicamentos longe do alcance das crianças

Qualquer adulto sabe que crianças devem ficar longe, sem acesso à caixa de medicamentos. Pais sempre têm o maior cuidado em esconder qualquer remédio, deixando-o longe do alcance das crianças. Mas, muito frequentemente, os pequenos acabam tendo acesso a essas drogas num momento de descuido, o que pode trazer sérias consequências.

Estudo comprova poder do amor de mãe

Ninguém questiona a importância do amor de mãe. Mas você sabia que a demonstração desse amor pode ajudar no desenvolvimento do cérebro da criança?

Facebook

Somos 5 Estrelas

 

Conheça a Escola Mundo do ABC

Umas das Poucas Escolas de Porto Alegre
Certificada pelo Conselho Municipal de Educação

(51) 3381-8201

Av. Iguaçu, 321 - Petrópolis

mundodoabc@mundodoabc.com.br